FESTIVAL 2016 (Dicas por estrear)

Aqui vão os destaques de todos os filmes a q assisti neste Festival do Rio, começando pelos q mais me impactaram:

1) “Toni Erdmann”: O melhor dos q assisti no Festival. Rara comédia simples e inteligente, com risos do início ao fim. Um cômico pai percebe q a distância emocional de sua filha – q mora em Budapeste – atingiu níveis excessivos, ao vê-la o tempo todo no celular, durante uma visita dela à família. Ele decide então visitá-la, e invadir com humor seu cotidiano de executiva. Com o tempo, o vazio das amizades e trepadas de sua vida ficam evidentes, e alguma linguagem afetiva – sem pieguice – pode ser iniciada entre eles. Excelente!

2) “Snow Monkey”: O diretor australiano George Gittoes realiza um excelente documentário sobre o cotidiano de crianças muito pobres nas ruas d Jalalabad, Afeganistão. Violência, roubos, ludicidade, criatividade, afeto, fome, miséria. O diretor colhe tantas imagens incríveis, e toca em tantos temas relevantes, q merecia q fossem 4 filmes ao invés de 1. Altíssimo nível de cinema.

3) “Os Garotos nas Árvores”: Surpreendente. É bastante raro q o cinema de suspense possa abordar com extrema categoria questões emocionais profundas, numa proposta onde o medo tende a ser o protagonista exclusivo (“Deixe Ela Entrar” é outra ótima exceção). Diversas situações delicadas do tenso período da adolescência de um grupo de garotos é condensada num dia de Halloween. Bullying, afeto, paixão, insegurança, autoafirmação, amizade, vazio emocional. Cinema de primeira.

4) “Souvenir”: Brilhante atuação da melhor atriz do mundo, Isabelle Huppert (“A Professora de Piano”). História simples, realizada com bastante competência. Um encontro com um colega de trabalho mais jovem quebra a “estabilidade” melancólica de uma ex-cantora. Atuações excelentes, articulação drama-comédia feita com fino trato. Vez por outra o diretor resvala em alguma pieguice, mas nada q comprometa o resultado.

5) “Dog Eat Dog”: Ótimo. O diretor Paul Schrader reúne o versátil e talentoso Willem Dafoe com Nicolas Cage (muito bem, em seu único personagem da vida), e nos apresenta um divertidíssimo filme, q lembra o cinema cult de Guy Ritchie (“Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes” e “Snatch – Porcos e diamantes”). Drogas, humor ácido, roteiro despretensioso, ênfase nas atuações e na refinada estética de um thriller delicioso.

6) “O Filho de Joseph”: Ótimo. Um rapaz vive com sua mãe, q eternamente nega revelar o nome e paradeiro do pai dele. Até q, fuçando nas coisas da mãe, descobre uma carta q o leva a um frio e pedante dono de uma editora (o brilhante Mathieu Amalric). A partir daí, os personagens vão esbarrando em novos arranjos relacionais. Excelentes atuações, direção precisa, bem para além do roteiro em discussão.

7) “Holocausto Brasileiro”: Excelente retrato do genocídio cometido contra os pacientes psiquiátricos do hospício de Barbacena, em Minas Gerais. A diretora Daniela Arbex adapta seu próprio livro, expondo uma reconstrução da tragédia dos pacientes – torturados, humilhados e assassinados – e seus familiares. Ressalta tb a ignorância de alguns agentes “de saúde”, sem contudo relevar suas responsabilidades criminais (como a personagem de Kate Winslet em “O Leitor”). Um soco no estômago.

8) “Much Loved”: Excelente filme marroquino sobre a vida íntima de 4 prostitutas. Seus afetos, parceria, resistência a humilhações. Atuações de alto nível, direção bastante competente, tensões precisas, sem apelações fáceis.

9) “Redemption Song”: Muito bom. Documentário sobre a questão dos refugiados na atualidade. Senegal, Itália, Brasil e Guiana são cenários através dos quais a ilusão de vida melhor é ensaiada. A complexidade do tema é respeitada pela direção do filme, q opta por abordar apenas um viés, viabilizando assim algum aprofundamento.

10) “As Confissões”: Muito bom. O diretor italiano Roberto Andò constrói um cenário bastante interessante, com personagens carismáticos e atuações convincentes. Toni Servillo (“A Grande Beleza”) representa o mesmo papel de sempre: blasé, arrogante disfarçado de eterna meditação. Daniel Auteuil, um dos grandes atores do mundo (“O Closet”, “Pintar ou Fazer Amor”), faz uma participação especial. Questiona e satiriza as genocidas decisões sobre a economia mundial.

11) “É Apenas o Fim do Mundo”: Xavier Dolan – um dos melhores diretores do mundo, juntamente com Wim Wenders e Woody Allen – faz um ótimo filme sobre a densidade trágica da dinâmica neurótica de uma família (sua temática preferida). Excelentes diálogos e atuações, além de sua já tradicional câmera esteticamente singular. Lembra o peso de “Sonata de Outono” (Bergman), especialmente nas cenas protagonizadas por Vincent Cassel (“Irreversível”, “O Apartamento”), sempre brilhante. Exaure o espectador pela claustrofobia bergmaniana, apesar de suas colorações almodovarianas.

12) “A Região Selvagem”: Ótima direção do mexicano Amat Escalante (“Heli”). História interessante, tensão muito bem construída. O único senão é o toque surrealista, q traz um acabamento pouco condizente com a força do restante do filme.

13) “No Andar de Baixo”: Muito bom. Thriller psicológico sobre 2 casais de novos vizinhos, ambos grávidos. Ótimo clima de tensão e suspense. No entanto, o último quarto do filme vai se mostrando previsível, apesar de alguma surpresa ainda restar.

14) “Barakah com Barakah”: Ótima comédia romântica saudita sobre um fiscal da prefeitura e uma modelo fotográfica famosa no YouTube por seus posts sem rosto. Claro q o filme esbarra nas idas e vindas tipicamente novelescas, mas o saldo é despretensiosamente saboroso. Ótimas atuações.

15) “Paraíso”: O destaque do filme é a excelente direção do russo Andreï Kontchalovski. A câmera em semi-close e a fotografia em PB, apesar de não serem inovações, foram escolhidas e realizadas com extrema qualidade. O roteiro e o ritmo estão um tanto abaixo, caso contrário poderia ser uma obra-prima.

16) “Primeiro Janeiro”: Apesar de um tanto gasta, a expressão “cinema de autor” ainda cabe em algumas situações, como neste bom filme do argentino Darío Mascambroni. O roteiro é ultra simples, a duração é de apenas 65′. O diretor sabia bem o q tinha em mente: a transição infância-adolescência de um garoto, vivida através de uma trilha como seu pai (antiga tradição familiar). Amor e diferenças são mostrados de forma bela e sutil.

17) “Amnésia”: Bom. Uma alemã de uns cinquenta e tantos anos anos vive reclusa num ponto tranquilo da famosa ilha de Ibiza, quando um novo vizinho de menos de 30 se aproxima de modo bastante delicado. As questões de idade e as memórias da 2a Guerra são apresentadas de forma simples e interessante.

18) “A Terra dos Fantasmas Vista pelos Bushmen”: Interessante doc alemão sobre uma tribo na Namíbia, e o impacto de seu novo contato com outros povos africanos e europeus.

15 Melhores Filmes Brasileiros de Todos os Tempos

Sempre resisti à ideia de fazer este tipo de lista dos “melhores”. Sempre achei q isso não servia pra praticamente nada, apenas um exercício de vaidade pública. Mudei de ideia, hj penso q pode ser apenas uma troca de experiências e sensações, prazerosa e despretensiosa.

Listar os melhores filmes sempre provoca justos questionamentos, como: “Faltou o Glauber!!”, “Sem Nelson Pereira dos Santos não faz sentido.”. Enfim, só o q sempre resta é fazer algo pessoal. Então, o critério aqui será: os 15 brasileiros q mais me afetaram, impactaram. Não vou discutir aspectos técnicos, nem qualidade artística do diretor ou das atuações, especificamente. Tudo ficará incluído nesta categoria escolhida, nomeada “afetação/impacto/atravessamento”. Por último, “Por que 15 e não 10, ou 50?”: pq este número acabou sendo resultado dos q não consegui excluir. Os restantes q também adorei estão na Grande Lista (ler mais no post “Grande Lista de Filmes (atualizada constantemente)”, aqui neste blog.

Sem mais delongas, aqui vão os 15, em ardem de afetação, c/ breves comentários:

1) “Janela da Alma”: Maravilhoso, poético, irretocável. João Jardim e Walter Carvalho dirigem Wim Wenders, Saramago, Manoel de Barros, Oliver Sacks, Hermeto Pascoal, João Ubaldo, etc. Emocionante, depoimentos extremamente inteligentes e sensíveis.

2) “Vinícius”: Além de Vinícius de Moraes ser um poeta dos maiores, o diretor Miguel Faria Jr. apresenta de forma preciosa sua história, parceiros, idiossincrasias, polêmicas, intensidades. Inúmeras falas inesquecíveis, como as de Ferreira Gullar, Maria Bethânia, Chico Buarque e Tonia Carrero. Além de interpretações tocantes de suas músicas, como a de Mônica Salmaso. O único senão é a presença tosca da fraquíssima Camila Morgado.

3) “Elena”: Obra-prima de máxima sensibilidade de Petra Costa, a melhor diretora brasileira. Filme radicalmente autoral, para além de ser um doc autobiográfico. O atravessamento de sua dor pela perda da irmã Elena é vivido visceralmente, sem concessões, até q possa, enfim, voltar a respirar. Petra filma à perfeição, tanto dor, quanto amor, melancolia (da mãe) e a própria sublimação de seu fantasma.

4) “Moscou”: A obra-prima máxima do melhor documentarista do Brasil, e um dos mais importantes do mundo: Eduardo Coutinho. Seguindo a potência de seu filme anterior “Jogo de Cena”, outra obra-prima, o diretor aprofunda sua criatividade e sensibilidade artística filmando o Grupo Galpão de teatro ensaiar uma peça de Tchekhov, q nunca seria exibida ao público. Os atores se revezam ensaiando papéis diferentes, o q provoca um jorro de afetação no espectador, pois este recurso lança cada personagem com muito mais força, transmitido por mais de um ator. Incrível.

5) “Ônibus 174”: Excelente doc de José Padilha, um de nossos melhores diretores. Contundente, sério e minucioso. A tragédia do sequestro de um ônibus na Zona Sul do Rio de Janeiro sendo contada de forma a retratar a “invisibilidade” dos meninos de rua, e os horrores de suas história de vida. O sequestrador, na infância, assistiu à sua mãe ser degolada na porta de sua casa, e anos depois esteve entre os meninos da chamada “chacina da Candelária”, onde 8 adolescentes foram gratuitamente assassinados por policiais militares. No filme, destaque para a cena em q o sequestrador, mesmo drogado, liberta um jovem universitário, para q este possa estudar.

6) “Moacir – Arte bruta”: Extremamente sensível. O diretor Walter Carvalho atinge a perfeição ao trazer um retrato tocante de um artista q contrariou o “pensamento” preconceituoso de sua vila (São Jorge), para inscrever suas pinturas no cenário mundial (foi descoberto por turistas alemães). Seus temas – sexualidade e diabos – causam horror na hipocrisia daquela sociedade, q quase consegue encarcerá-lo, literalmente. A sensibilidade de seu pai e de um ou outro na vila acabam por sustentar seus direitos humanos. Sua mãe, psicotizante, enfiava concretamente seu peito no garoto (Moacir tinha então 2 anos), quando este já não aceitava mais.  É um homem da resistência, surdo de um ouvido, analfabeto e fanho, mas mais belo e forte do q a maioria das pessoas q já conheci. Já utilizei este filme várias vezes em aulas sobre a potência da psicose. Cheguei a visitar o próprio Moacir em São Jorge (Goiás), e encontrei um cenário triste: uma doença degenerativa o impede de continuar pintando. Terrível… Ainda assim, ele foi super gentil. Eternamente um resistente.

7) “Separações”: O melhor de todos os filmes de Domingos Oliveira, um dos melhores diretores brasileiros. Com um escracho generalizado um tanto à la Woody Allen, o humor deste filme é ímpar. Reviravoltas com simplicidade e inteligência nos diálogos, Domingos arrasa todo e qualquer maniqueísmo, trazendo o desamparo e as tentações com igual intensidade entre homem e mulher. O respeito não panfletário à igualdade grita nos conflitos e agonias poéticas e histriônicas dos personagens, flertando com o patético mas encerrando na beleza demasiadamente humana dos casais.

8) “O Invasor”: Belíssimo e extremamente preciso trabalho do diretor Beto Brant. Um tratado de Psicanálise sobre a relação da Neurose com a Perversão. Paulo Miklos (da banda “Titãs”) atua à perfeição como um matador q resolve “frequentar” a firma de 2 sócios q o contrataram para matar o terceiro. Falas inesquecíveis, olhares e tensões de poder minuciosamente colocados. Obra-prima irretocável.

9) “Nome Próprio”: O diretor Murilo Salles atinge o brilhantismo nesta obra impressionante, com um título perfeito. O nomadismo da protagonista incomoda o público, causando em muitos a sensação de q as escolhas da personagem seriam bizarras. Sua liberdade – não glamourizada – evidencia os aprisionamentos até dos espectadores menos preconceituosos. Virtuosismo notável da direção. Ler mais no post “Estilo X Pejorativismo (sobre ‘Nome Próprio’)”, aqui neste blog.

10) “O Cheiro do Ralo”: O maior trabalho da vida de Selton Mello, um dos melhores atores brasileiros (chego a considerar q este filme, especificamente, não seria possível com outro ator). Articular traços psicóticos e perversos num único personagem – tarefa praticamente impossível – foi o q o diretor Heitor Dhalia conseguiu realizar, com precisão impressionante, na parceria com Selton.

11) “Jogo de Cena”: Mais uma obra-prima do diretor Eduardo Coutinho. “Documentário” sobre as histórias de vida de algumas personagens, apresentadas subsequentemente pelas próprias, por algumas atrizes conhecidas – as brilhantes Marília Pêra, Fernanda Torres e Andréa Beltrão – e outras desconhecidas. Essa “bagunça” desconstrutiva provoca com bastante intensidade a desorganização do espectador. Ficam, entre outras, as questões: o q é o autêntico? O q é ficção? Estes são pontos bastante centrais na filmografia do mestre Eduardo Coutinho.

12) “Doutores da Alegria”: Documentário belíssimo e extremamente emocionante da diretora Mara Mourão, sobre o grupo de palhaços q criaram um trabalho dificílimo com crianças portadoras de câncer. Minuciosamente, os palhaços pensam cada sutileza – a entrada e a saída do quarto, a recusa da criança, a função do nariz vermelho, da música -, inclusive fazendo um grupo de estudos de filosofia, discutindo Spinoza, etc. A sensibilidade e a inteligência dos integrantes do grupo é absurda. A chorar muitas lágrimas de dor e alegria…

13) “Dzi Croquettes”: Excelente documentário dos diretores Raphael Alvarez e Tatiana Issa, sobre o grupo de teatro e dança multi performático. O tema sexualidade era exposto radicalment –  para além da chamada “opção sexual”. A intensidade e genialidade dos membros fez com q não sofressem praticamente nenhuma repressão na época da ditadura. Criativo ao extremo na transmissão da arte. Destaque para os depoimentos de Liza Minnelli e Miéle.

14) “O Som ao Redor”: Filme extremamente denso, desviando nossa atenção dos eixos viciados do nosso olhar, para outras perspectivas. Para além do silêncio – já bastante bem explorado na história do cinema -, o diretor Kleber Mendonça Filho de fato mira o entorno do cotidiano. E o faz com rara qualidade, insistentemente, até q nos desapegamos em definitivo de nossas tendenciosas perspectivas anteriores. A história, geralmente central, fica deslocada para a margem.

15) “Tropa de Elite”: Poderia ser apenas um filme policial intenso e dinâmico, mas vai muito além. Multifacetada trama de costumes, apresenta uma perspectiva de bastidores do sistema policial brasileiro. Com precioso senso de humor, imortalizou bordões como “Quer rir, tem q fazer rir, mano!”, “Quer me fuder, me beija!” e “Cada cachorro q lamba sua caceta!”. Algumas críticas de superficialidade maniqueísta acusaram o diretor José Padilha de traçar um perfil tendencioso pró BOPE, ao q ele retrucou: “Quando fiz ‘Ônibus 174’, disseram q sou pró bandidagem; agora, com o ‘Tropa’, dizem q sou pró polícia. Acho q sou esquizofrênico.”. Pra completar, a ótima atuação de Wagner Moura.

Sobre o Oscar 2016, considerações…

Que o Oscar é uma premiação extremamente tendenciosa, q quase nunca laureia filmes não americanos, todos sabem. Porém, além de alguns filmes bons – nem tantos -, o mega evento tem o mérito de provocar q o mundo todo tente ver pelo menos um ou outro, emitir opinião, e quem sabe assistir junto com amigos. Ou seja, expandir o cinema.

Por conta disso, resolvi aqui colocar meus preferidos, dentre os indicados:

1) Filme Estrangeiro: A cada ano q passa, este segue sendo o único “braço” sério do Oscar. Praticamente todos os indicados são de alto nível. Neste ano, todos os 5 filmes são ótimos (como assisti a todos, comentarei com mais detalhes). Considero “Filho de Saul” e “Cinco Graças” um pouco abaixo dos outros três. Os dois melhores são “Guerra” e “O Lobo do Deserto”, sendo o primeiro um pouquinho melhor, mais complexo. Em terceiro lugar viria “O Abraço da Serpente”, também muito bom.

2) Melhor Filme: “A Grande Aposta” foi superior aos demais. Inteligente, dinâmico, divertido, criativo e com excelentes atuações (destaque para Steve Carell, impressionante, e para Christian Bale, um dos melhores atores da atualidade). Em segundo lugar, o excelente “O Quarto de Jack”, surpreendente. “Spotlight”, just ok; “O Regresso”, risível (faz lembrar do esquete “Joseph Climber”).

3) Melhor AtorEddie Redmayne, de “A Garota Dinamarquesa”, foi brilhante, apesar do filme ser todo previsível. Se o Oscar tende a premiar alguém 2 anos seguidos? Sem comentários, o importante é a atuação, claro. DiCaprio está apenas ok em “O Regresso”.

4) Melhor DireçãoAdam McKay, de “A Grande Aposta”. Escolheu grandes atores, trabalhou bem o roteiro, enfim, tudo bem orquestrado. Em segundo lugar, Lenny Abrahamson, de “O Quarto de Jack”, q abrilhantou e sofisticou uma história já conhecida. Os outros estão bem, à exceção de Iñárritu, um dos melhores do mundo, mas q patina feio em “O Regresso”, transformando uma história interessante num filme cômico e constrangedor.

5) Melhor Animação: “Divertida mente”, justo, inegável. Uma das melhores animações de todos os tempos. Mereceria ganhar também os oscars de Melhor Filme, Roteiro Original e Direção. Extremamente inteligente, parece um tratado de metapsicologia, riquíssimo, engraçado, complexo, dinâmico, envolvente. Perfeito. Em segundo lugar, “Anomalisa”, do fora-de-série Charlie Kaufman.

6) Melhor Roteiro Original: “Divertida mente”, por todos os motivos supracitados, vários degraus acima dos demais. Em segundo lugar, “Ex machina”, muito bom. “Spotlight” é interessante, mas não brilhante.

7) Melhor Roteiro Adaptado: “A Grande Aposta”, justo. Fez toda a diferença esta adaptação, tornando uma história interessante num tratado sobre a mediocridade geral. Em segundo lugar, “O Quarto de Jack”, pelos mesmos motivos do outro filme, porém um pouco abaixo.

8) Melhor Atriz: Brie Larson, de “O Quarto de Jack” está bem, mas nada q merecesse tanto. Charlotte Rampling, de “45 anos”, está surpreendentemente mal. Eu premiaria Jennifer Jason Leigh, de “Os Oito Odiados”, q considero ter sido protagonista, não coadjuvante.

9) Melhor Ator Coadjuvante: Christian Bale, de “A Grande Aposta”, sempre brilhante. Já mereceu o Oscar de Melhor Ator Principal algumas vezes, como em “O Operário”. Os outros estão bem, à exceção de Sylvester Stallone, obviamente fraquíssimo.

10) Melhor Atriz CoadjuvanteJennifer Jason Leigh, de “Os Oito Odiados”, incomparável. Já q concorreu como coadjuvante, q pelo menos ganhasse. Papel marcante, atuação brilhante; começa discreta e vai crescendo bem suavemente, até praticamente dominar o filme. Quanto a Alicia Vikander, de “A Garota Dinamarquesa”, é um dos maiores absurdos deste Oscar. Atuação fraquíssima, de ponta a ponta, sem conseguir sequer se beneficiar do fato de contracenar com Eddie Redmayne, soberbo em seu papel.

11) Melhor Fotografia: “O Regresso”, justo. O único prêmio q este filme merecia. Em segundo lugar, “Os Oito Odiados”.

 

Enfim, quanto às outras premiações, “Amy” (melhor documentário) é interessante apenas pela história da protagonista, não tanto como filme, por não ter sido tão bem dirigido.

Quanto aos outros prêmios ditos “técnicos”, eu os dividiria entre “Star Wars – O despertar da força”, “Mad Max – Estrada da fúria” e “Ex Machina”, todos muito bem realizados neste aspecto.

Pra finalizar, tocante ver Ennio Morricone (do clássico “Três Homens em Conflito”) ser laureado pela primeira vez pela trilha sonora de “Os Oito Odiados”, e agradecer a John Williams (“Tubarão”), q já coleciona 5 estatuetas, também concorrendo por “Star Wars – O despertar da força”. O prêmio deveria ser excepcionalmente dividido pelos dois monstros sagrados da história do cinema.

FESTIVAL 2015 (Dicas por estrear)

1) “Dora ou as Neuroses Sexuais de Nossos Pais” (O melhor dos q assisti no Festival. Excelentes atuações, história interessante, direção precisa. A protagonista, brilhante no papel, sofre de algum tipo de retardo mental. Seus pais, muito afetivos, oscilam entre um amor simbiótico e uma permissividade sempre flertante com grandes riscos. O ápice da tensão se inicia quando a menina começa a ter seus primeiros sinais de tesão. A discussão sobre se o amante de Dora é estuprador ou tipo pedófilo, ou se é apenas um pegador q apenas não tá apaixonado, é perfeita. A questão dos preconceitos fica instigante do início ao fim.)

2) “Betinho” (Belíssimo, irretocável!! Mais q um documentário muito bem feito, é um “autorretrato” de um lindo ser humano, ativo, à frente de seu tempo, sempre lutando contra tuberculose, hemofilia ou AIDS, e por seu país. Responsável direto pela revolução da posição do Brasil no tratamento à soropositividade e à fome da população. Emocionante do início ao fim.)

3) “Micróbio & Gasolina” (Excelente. Bela fábula sobre o início da adolescência, através da amizade de 2 meninos pouco populares e extremamente criativos. Diálogos inteligentíssimos do diretor Michel Gondry, da obra-prima “Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças”.)

4) “11 Minutos” (Excelente. Câmera puramente artística, filma histórias em torno de um acontecimento, algo como “Amores Brutos”. A diferença é q na obra-prima de Iñárritu há valorização das histórias de cada personagem. Aqui, em “11 Minutos”, o diretor polonês enfatiza o instante mais do q os personagens. Sua câmera insiste em nos confrontar com uma tensão q prescinde da tragédia. A cada tomada aérea de uma simples travessia dum pedestre num sinal fechado pros carros, prenuncia um grave acidente. E nada acontece. Sucessivas vezes. Tal como o recurso da repetição da eterna coreógrafa Pina Bausch, é só através do mesmo q percebemos, enfim, aquilo do q se trata. Brilhante.)

5) “Fátima” (Excelente. Brilhante direção de Philippe Faucon, q faz de um roteiro ultra simples uma história tocante, recheada de sutilezas. Uma doméstica árabe e suas 2 filhas tentando viver dignamente na França. O diretor vai explicitando sua intenção de não focar os dramas, mas falar através deles. Não aponta para nenhuma dissolução de impasses, ao contrário, passeia por eles lindamente. Imperdível.)

6) “O Homem Novo” (Ótimo. Documentário sobre Stephanie, um travesti q militou pela revolução sandinista na Nicarágua, dando aulas de alfabetização desde os 8 anos. Agora, aos 42, tenta fazer a cirurgia de “mudança de sexo”. Ao descobrir seu irmão no FB, volta à Nicarágua p/ ver a família após mais de 20 anos, de onde saiu ainda com identidade masculina. Ótima câmera, sem apelações para a glamourização da miséria.)

7) “A Obra do Século” (Ótimo. Um filme de alto nível, retratando a claustrofóbica relação de 1 homem de 30 anos, seu pai de 50 e o avô de 70, numa cidade abandonada por um megaprojeto interrompido de uma usina nuclear em Cuba. As acaloradas discussões entre os 3 remetem ao clima de “Sonata de Outono”, clássico do denso Bergman. A relação simbiótica do pai e do avô tem tons de “A Professora de Piano”. O filme só não é brilhante por um leve problema no ritmo.)

8) “Aos 14”  (Ótimo. Referência quase direta ao clássico “Aos Treze”, remete tb a “Spring Breakers”, “Ken Park”. A insegurança da adolescência provocando fortes oscilações emocionais e constantes situações de risco com álcool, drogas ilícitas e violência.)

9) “Anomalisa” (Muito bom. Charlie Kaufman – renomado roteirista de “Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças” – dirige seu 2o filme, uma animação em tons depressivos e ácidos sobre um palestrante motivacional q mergulha em sua falência afetiva, buscando desesperadamente em cada mulher reencontrar um “verdadeiro” sentido em sua vida.)

10) “A Aula Vazia” (Muito bom. 11 curtas de diferentes diretores sobre as questões em torno da evasão escolar na América Latina. As primeiras 2 ou 3 histórias são fracas, mas jogo em seguida os curtas vão melhorando sensivelmente. No cômputo geral, a qualidade é bem interessante.)

11) “Mon Roi” (Muito bom. Grandes atuações, especialmente pelo excelente Vincent Cassel, de “O Ódio”, “Irreversível, etc. Com estes atores e a interessante história do ingênuo apaixonamento obcecado duma mulher por um sedutor q passeia entre a perversão e a histeria, o diretor poderia ter feito um filme brilhante. Mas apresentou diversas nuances da questão, ao invés de aprofundar uma delas. Pena, mas ainda assim vale conferir.)

12) “Chicas Nuevas 24 horas” (Bom. Documentário estilo padrão sobre as raízes da prostituição em 5 países. Questões fortes – como escravidão e tortura – levantadas, especialmente no final, de forma bastante abrangente, trazendo inclusive a rejeição das famílias às meninas q conseguem escapar de seus cativeiros.)

13) “Paulina” (Bom. A discussão sobre a onipotência de uma filha transgressora q não percebe homenagear seu pai a cada vez q o contraria, até quando passa por um episódio de horror. Remete a “Manderlay” e “Dogville”, onde um pai diz à filha: “Sua arrogância é achar q suporta qualquer dor.”)

14) “Tudo Vai Ficar Bem” (Bom. Por considerar Wim Wenders o melhor diretor de todos os tempos, sempre espero algo próximo de uma obra-prima. A história de um escritor autocentrado após atropelar um menino apresenta uma melancolia q não é sustentada pelos atores escolhidos por Wenders, especialmente James Franco. As exceções são a excelente e sempre depressiva Charlotte Gainsburg – a única a suportar Lars von Trier 3 vezes – e os atores q fazem seu filho.)

15) “Malala” (Bom. Documentário sobre a bela e trágica história da vencedora do Nobel da paz por sua luta pelos direitos femininos à educação, proibidos pelo regime talibã. Apesar da força da história, o diretor não consegue transmitir emoção.)

Grande Lista de Filmes (atualizada constantemente)

DICAS P/ CINÉFILOS E AFINS

-A Professora de Piano

-Lúcia e o Sexo

-Amores Brutos

-Réquiem para um Sonho

-Ararat

-21 Gramas

-Fale com Ela

-O Fabuloso Destino de Amélie Poulain

-O Gosto dos Outros

-Frida

-A História Real

-As Horas

-O Pianista

-Pão e Tulipas

-Íris

-11 de Setembro

-O Filho da Noiva

-Desconstruindo Harry

-Filhos do Paraíso

-A Cor do Paraíso

-Valentin

-Tiros em Columbine

-Nove Rainhas

-Alta Fidelidade

-A Última Ceia

-Dia de Treinamento

-Paraíso

-Domingo Sangrento

-O Homem Sem Passado

-O Tempo de Cada Um

-Aos Treze

-Irreversível

-Prenda-me Se For Capaz

-Pollock

-A Bruxa de Blair (1 e 2)

-O Show Não Pode Parar

-Hedwig – Rock, Amor e Traição

-Quase Famosos

-Waking Life

-Ted Bundy

-O Filho

-Sexo Por Compaixão

-Albergue Espanhol

-Pantaleão e as Visitadoras

-Um Enigma no Divã

-Ou Tudo ou Nada

-Promessas de um Novo Mundo

-Amém.

-Segunda-Feira ao Sol

-Beije Quem Você Quiser

-Na Captura dos Friedmans

-Lugar Nenhum na África

-Encontros e Desencontros

-Anti-Herói Americano

-As Invasões Bárbaras

-Adeus, Lênin!

-Queimando ao Vento

-O Agente da Estação

-Diários de Motocicleta

-Elefante

-Kill Bill Vols. 1 e 2

-Monster – Desejo Assassino

-Eu Não Tenho Medo

-Não Se Mova

-Código 46

-Primavera, Verão, Outono, Inverno e… Primavera

-Os Sonhadores

-Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças

-Vozes Inocentes

-A Pequena Lili

-A Queda! As Últimas Horas de Hitler

-Oldboy

-Entre Casais

-Sin City (I e II)

-Um Coração para Sonhar

-Capote

-Violação de Domicílio

-Paradise Now

-Estrela Solitária

-Crianças Invisíveis

-Meu Amor de Verão

-Em Segredo

-A Criança

-A Lula e a Baleia

-C.R.A.Z.Y. – Loucos de Amor

-O Corte

-O Que Você Faria?

-Pintar ou Fazer Amor

-Feliz Natal

-Sonhos com Xangai

-Perfume – A História de um Assassino

-Factotum – Sem Destino

-Lady Vingança

-Além do Desejo

-Infância Roubada

-A Culpa é do Fidel

-Mary e Max – Uma Amizade Diferente

-Onde os Fracos não Têm Vez

-SOS Saúde

-XXY

-O Lutador

-Um Beijo Roubado

-Pecados Inocentes

-O Arco

-3 Macacos

-Bastardos Inglórios

-Ervas Daninhas

-Caro Sr. Horten

-Eu Matei Minha Mãe

-Em um Mundo Melhor

-Meia-Noite em Paris

-Medianeras

-Palermo Shooting

-Submarino

-Inquietos

-Budrus

-O Artista

-O Porto

-Pina

-Esses Amores

-Políssia

-Infância Clandestina

-Django Livre

-César Deve Morrer

-Depois de Maio

-Salvo

-Juan dos Mortos

-Azul é a Cor Mais Quente

-A Grande Beleza

-Oslo, 31 de Agosto

-Feito Gente Grande

-A Casa Silenciosa

-Ida

-Um Pombo Pousou num Galho Refletindo sobre a Existência

-Os Falsários

-A Senhora da Van

-A Juventude

-Tango Livre

-Na Ventania

-O Apartamento

-Toni Erdmann

-Moonlight – Sob a luz do luar

-Una

O Cidadão Ilustre

-Gaga – O amor pela dança

 

(POR ESTREAR…)

(Festival 2002)

-Elling

(Festival 2003)

-Angústia

-Estranhos Jardins

-Coisas Secretas

(Festival 2004)

-Anatomia do Inferno

-Elling, O Filhinho da Mamãe

-Olhos de Rinoceronte

-O Perdão

-Aftermath

-A Câmera de Madeira

-Kick’N Rush

-Regra Número 1

(Festival 2005)

-As Que Se Mantêm Têm Sonhos

-Dumplings

-Geminis

-Accused

-Morrer em San Hilário

-Tudo Sobre Rodas

-Where The Truth Lies

-Cortesãs à Beira da Estrada

-Saratan

-Azarão

-Marock

-Frio Sol de Inverno

-Ecos da guerra

(Festival 2006)

-Verão em Berlim

-Isabella

-Todos os Dias Antes do Amanhã

-Negação Total

-Jonestown: Vida e Morte

-Ponto de Encontro

-Atos dos Homens

-Holly

(Festival 2007)

-Propriedade Privada

-Terra Sonâmbula

-Garrafas Vazias

-O Homem que Incomoda

-Maldeamores

-Nascido e Criado

-Os Mal-Criados

-Feche… Apenas seus Olhos

-California Dreamin’

(Festival 2008)

-Sereia

-Abaixando a Máquina

-Filho de Peixe

-Adoração

-Alexandra

-A Boa Vida

-Involuntário

-O Lar

(Festival 2009)

-Os Yes Man Consertam o Mundo

-A Pequenina

-Amargo

-O Menino e o Cavalo

-Tulpan

-Jaffa

-Parada

-Mommo

-Polytechnique

(Festival 2010)

-Filho da Babilônia

-Quatro Noites com Anna

-O Segredo da Rua Ormes

-A Encruzilhada

-Líbano

(Festival 2011)

-A Cabana

-Raiva

-Saudações ao Diabo

-A Hora e a Vez de Augusto Matraga

-Restauração

-No Gelo

(Festival 2012)

-Monty Python – A Autobiografia de um Mentiroso

-Homens Livres

-Hoje

-A Sorte em suas Mãos

-Post Tenebras Lux

-Meu Bairro

-A Estreia de uma Repórter

-Somos uma Multidão: A História dos Hacktivists

-Nós e Eu

-Espelhos Mágicos

-Atrás da Porta

(Festival 2013)

-Apenas Deus Perdoa

-Contadores de Imagens

-Broken Glass Park

-Sprinh Breakers: Garotas Perigosas

-A Dança da Realidade

-Os Donos

-Tip Top

(Festival 2014)

-Jasmine

-Güeros

-Primaveras Escuras

-Mauro

-Escola de Babel

-A Camareira

-1001 Gramas

-Asteróide

-O Cordeiro

-Carvão Negro

-Coming Home

-Party Girl

-Difret

-Quatro Cantos

(Festival 2015)

-Dora ou as Neuroses Sexuais de Nossos Pais

-Micróbio & Gasolina

-11 Minutos

-O Homem Novo

-A Obra do Século

-Aos 14

-A Aula Vazia

-Chicas Nuevas 24 horas

-Paulina

-Tudo Vai Ficar Bem

(Festival 2016)

-Snow Monkey

-Os Garotos nas Árvores

-Souvenir

-Dog Eat Dog

-O Filho de Joseph

-Holocausto Brasileiro

-Redemption Song

-A Região Selvagem

-No Andar de Baixo

-Barakah com Barakah

-Primeiro Janeiro

-A Terra dos Fantasmas

-Um Caso de Família

UM POUCO MAIS ANTIGOS

-Tão longe, Tão Perto

-O Processo do Desejo

-O Apartamento

-A Outra

-Manhattan

-Celebridades

-O Carteiro e o Poeta

-Cinema Paradiso

-Os Duelistas

-Lua de Fel

-Perdas e Danos

-Despedida em Las Vegas

-O Profissional

-O Show de Truman

-O Ódio

-Grandes Esperanças

-Contos Proibidos do Marquês de Sade

-Meu Pé Esquerdo

-Em Nome do Pai

-Meninos Não Choram

-O Tigre e o Dragão

-A Outra História Americana

-Um Convidado Bem Trapalhão

-Monty Python (todos)

-Um Peixe Chamado Wanda

-Um Dia a Casa Cai

-O Jantar dos Malas

-4 Casamentos e 1 Funeral

-Assassinos Por Natureza

-O Povo Contra Larry Flynt

-Gêmeos, Mórbida Semelhança

-Felicidade

-As Bruxas de Salem

-Um Dia de Fúria

-Corra Lola, Corra

-Billy Elliot

-A Fraternidade é Vermelha

-Muito Além do Jardim

-O Sétimo Selo

-Teorema

-Jules e Jim

-Por um Punhado de Dólares

-Por uns Dólares a Mais

-Três Homens em Conflito

-Neblina na Sombra

-O Homem que Amava as Mulheres

-O Processo

-Ladrões de Bicicletas

-O Último Tango em Paris

-Um Homem, uma Mulher

-Um Dia Muito Especial

-Em Busca do Ouro

-Somos Todos Assassinos

-Ajuste Final

-O Ladrão

BRASILEIROS

-Janela da Alma

-Vinícius

-O Sal da Terra

-Ônibus 174

-Separações

-O Invasor

-O Som ao Redor

-O Prisioneiro da Grade de Ferro

-Cidade Baixa

-Tropa de Elite (1)

-Nome Próprio

-Doutores da Alegria

-Betinho – A esperança equilibrista

-Dzi Croquettes

-O Fim e o Princípio

-Bicho de 7 Cabeças

-Abril Despedaçado

-Lavoura Arcaica

-Cidade de Deus

-Central do Brasil

-Cinema, Aspirinas e Urubus

-Moacir – Arte Bruta

-Moscou

-Jogo de Cena

-Elena

-Olmo e a Gaivota

-Últimas Conversas

-A Luneta do Tempo

-A Vida como Ela É

-Edifício Master

-Cronicamente Inviável

-O Auto da Compadecida

-Gêmeas

-Tolerância

-Houve Uma Vez Dois Verões

-O Cheiro do Ralo

-Meu Nome não é Johnny

-Cássia Eller

-Cine Holliúdy

-O Homem que Copiava

-O Pequeno Dicionário Amoroso

-Narradores de Javé

-WoodStock – Sexo, Orégano e Rock N’Roll

-Só Dez por Cento é Mentira – A Desbiografia Oficial de Manoel de Barros

-Cidade dos Homens

-Domésticas, O Filme

-Paulinho da Viola – Meu Tempo É Hoje

-Maria Bethânia – Pedrinha de Aruanda

-Rio de Jano

-Bendito Fruto

-Três Irmãos de Sangue

-Herbert de Perto

-Faroeste Caboclo

-Praia do Futuro

-Que Horas Ela Volta?

-Chico – Artista brasileiro

-Em Três Atos

-Eles Voltam

-BR 716

HOLLYWOODIANÕES

-Guerra nas Estrelas (todos)

-O Poderoso Chefão (todos)

-O Senhor dos Anéis (1 e 2)

-Hulk

-Crash – No Limite

-Matrix (1 e 3)

-O Silêncio dos Inocentes (todos)

-Forrest Gump

-Melhor É Impossível

-Rain Man

-Seven

-Perfume de Mulher

-Cabo do Medo

-Fogo Contra Fogo

-O Quarto Poder

-O Chamado (1)

-Os Outros

-Uma Mente Brilhante

-Sociedade dos Poetas Mortos

-O Paciente Inglês

-Hurricane, o Furacão

-Os Suspeitos

-Divertida Mente

-A Era do Gelo (1)

-Monstros S.A.

-Os Incríveis

-Up – Altas Aventuras

-Meu Malvado Favorito

-Frankenweenie

-Platoon

-Nascido Para Matar

-A Lista de Schindler

-Tempo de Glória

-Pulp Fiction

-Razão e Sensibilidade

-Os Imperdoáveis

-Um Sonho de Liberdade

-Náufrago

-Gladiador

-Missão Impossível (1)

-A Identidade Bourne

-A Supremacia Bourne

-O Ultimato Bourne

-Corpo Fechado

-De Olhos Bem Fechados

-Shine – Brilhante

-O Advogado do Diabo

-Império do Sol

-Coração Valente

-O Gênio Indomável

-Tempo de Despertar

-Golpe de Mestre (1 e 2)

-Titanic

-Beleza Americana

-Femme Fatale

-A Promessa

-Identidade

-Lutero

-Em Busca da Terra do Nunca

-Batman Begins

-Constantine

-A Noiva-Cadáver

-O Plano Perfeito

-Distrito 9

-Na Estrada

-Invocação do Mal (1 e 2)

-O Conselheiro do Crime

-Sobrenatural (todos)

-Ela

-Clube de Compras Dallas

-Annabelle

-O Iluminado

-Livre

-Interestelar

-A Visita

-A Entidade

-A Casa dos Mortos

-A Grande Aposta

-O Quarto de Jack

-A Chegada

JÁ VIU TODOS?  MAIS ALGUNS ENTÃO…

-Histórias de Cozinha

-Exótica

-O Retorno

-Contra a Parede

-O Clã das Adagas Voadoras

-Fim de Caso

-Samsara

-Lugares Comuns

-Manderlay

-Dogville

-Borat – O 2º Melhor Repórter do Glorioso País Cazaquistão Viaja à América

-Gomorra

-Marcas da Vida

-O Declínio do Império Americano

-Do Jeito Que Ela É

-Amnésia

-Círculo de Fogo

-Zelig

-Crimes e Pecados

-Scoop – O Grande Furo

-Tudo Pode Dar Certo

-O Anjo Exterminador

-Os Esquecidos

-Viridiana

-O Discreto Charme da Burguesia

-O Grito

-Dodes’ka-den

-O Alucinado

-Fanny e Alexander

-A Noite Americana

-Hiroshima Mon Amour

-Ano Passado em Marienbad

-A Noiva Estava de Preto

-Butch Cassidy and the Sundance Kid

-Bonnie & Clyde – Uma rajada de balas

-Sonhos de Mulheres

-Plata Quemada

-Italiano Para Principiantes

-Cidade dos Sonhos

-Império dos Sonhos

-A Última Noite

-A Estranha Família de Igby

-Longe do Paraíso

-O Crime do Padre Amaro

-Teia de Chocolate

-O Poder Vai Dançar

-Concorrência Desleal

-O Homem Que Não Estava Lá

-Antes do Anoitecer

-Malena

-Dois Perdidos Numa Noite Suja

-O Céu de Suely

-Pro Dia Nascer Feliz

-Terra Estrangeira

-Lisbela e o Prisioneiro

-Sonhos Tropicais

-Crime Delicado

-Bufo e Spalanzani

-O Quatrilho

-Todas as Mulheres do Mundo

-Amores

-Feminices

-Glauber O Filme, Labirinto do Brasil

-Redentor

-Nina

-O Outro Lado da Rua

-Cazuza – O Tempo Não Pára

-O Signo do Caos

-Filme de Amor

-Baixio das Bestas

-Fabricando Tom Zé

-Lóki – Arnaldo Baptista

-Palavra (En)cantada

-Rock Brasília

-O Palhaço

-Não É Mais Um Besteirol Americano

-Vida Que Segue

-Segundas Intenções

-Um Casamento À Indiana

-Bem Me Quer, Mal Me Quer

-Agora ou Nunca

-Jalla! Jalla!

-Swimming Pool

-Em Nome de Deus

-Extermínio

-O Outro Lado da Cama

-Simplesmente Amor

-A Cidade Está Tranquila

-Jogos, Trapaças e 2 Canos Fumegantes

-Roger e Eu

-Os Amantes do Círculo Polar

-O Balconista

-Encontros

-Xuxu

-Osama

-Minha Vida Sem Mim

-De Corpo e Alma

-Falando de Sexo

-Ken Park

-Beco dos Milagres

-Pão e Rosas

-Soldados de Salamina

-Matadores de Velhinha

-Migração Alada

-Tolerância Zero

-Assunto de Mulheres

-Super Size Me – A Dieta do Palhaço

-O Closet

-A Jornada de James Para Jerusalém

-O Mais Belo Dia de Nossas Vidas

-Balzac e a Costureirinha Chinesa

-Fahrenheit 11 de Setembro

-As Bicicletas de Belleville

-Gosto de Cereja

-Má Educação

-Uma Amizade Sem Fronteiras

-O Abraço Partido

-Confidências Muito Íntimas

-Edukators

-Meninos de Deus

-As Pontes de Madison

-Sideways – Entre Umas e Outras

-Jogos Mortais

-Ray

-Mar Adentro

-Adorável Júlia

-Antes do Amanhecer

-Questão de Imagem

-Lado Selvagem

-O Cachorro

-Herói

-Ninguém Pode Saber

-O Lobo

-Um Skinhead no Divã

-Inconscientes

-Nem Tudo É O Que Parece

-Sob o Céu do Líbano

-Coração Sem Lei

-Flores Partidas

-Brothers

-Mentiras Sinceras

-Neste Mundo

-O Solitário Jim

-Eu, Você e Todos Nós

-Amigo É Pra Essas Coisas

-O Amor a e Fúria

-O Tempo Que Resta

-Bubble

-Dias Selvagens

-Filhos da Esperança

-A Rainha

-Inferno

-Notas Sobre Um Escândalo

-Cartas de Iwo Jima

-A Leste de Bucareste

-Meu Irmão Quer se Matar

-Transylvania

-Paris, Te Amo

-Um Lugar na Plateia

-Dias de Glória

-A Vida Secreta das Palavras

-Paranoid Park

-Persépolis

-Senhores do Crime

-Em Paris

-2:37

-Piaf – Um Hino ao Amor

-O Assassinato de Jesse James pelo Covarde Robert Ford

-Personal Che

-Satã

-As Mulheres da Rosentrasse

-Ninho Vazio

-O Leitor

-Deixe Ela Entrar

-Procurando Elly

-Gesto Obsceno

-O Grupo Baader Meinhof

-Mademoiselle Chambon

-Como Eu Festejei o Fim do Mundo

-À Prova de Morte

-Minha Noite com Ela

-Direito de Amar

-Gigante

-José & Pilar

-Abutres

-Machete

-Inverno da Alma

-Entrevista

-Bebês

-Medo e Delírio

-Singularidades de uma Rapariga Loura

-Drive

-Crime de Amor

-Shame

-A Onda

-Aqui é o meu Lugar

-Elefante Branco

-Segredos de Sangue

-Apenas o Vento

-Gravidade

-Bastardos

-Nebraska

-Inside Llewin Davis

-Ninfomaníaca

-Eu, Mamãe e os Meninos

-O Médico Alemão

-Following

-Amores Inversos

-O Grande Hotel Budapeste

-Mommy

-O Abutre

-A Família Bélier

-Força Maior

-Winter Sleep

-Numa Escola de Havana

-Corrente do Mal

-A Pele de Vênus

-Tangerines

-Garota Sombria Caminha pela Noite

-A Pequena Morte

-Body

-A Ilha do Milharal

-O Lobo do Deserto

-Guerra

-A Ovelha Negra

-Fique Comigo

-Café Society

-A Comunidade

-Incompreendida

-A Criada

-O Lar das Crianças Peculiares

-A Garota Desconhecida

-Fátima

-Segunda Chance

AH, NÃO PERCA ESSES TAMBÉM…

-O Passado

-Mutum

-Crônica de uma Fuga

-Vôo United 93

-Conto de Inverno

-Ventos da Liberdade

-Deu a Louca na Chapeuzinho

-Aquele que Sabe Viver

-4 Meses, 3 Semanas e 2 Dias

-A Era da Inocência

-Estômago

-Batman – O Cavaleiro das Trevas

-De Punhos Cerrados

-Nova Iorque Eu Te Amo

-Estranhos no Paraíso

-O Que Resta do Tempo

-Titãs – A Vida até Parece uma Festa

-Brinquedo Proibido

-O Mágico

-Turnê

-Os Nomes do Amor

-A Caverna dos Sonhos Esquecidos

-Beleza Adormecida

-Histórias que Só Existem quando Lembradas

-Intocáveis

-18 Comidas

-7 Dias em Havana

-Um Alguém Apaixonado

-No

-Pieta

-A Caça

-Querida, Vou Comprar Cigarros e Já Volto

-O que Traz Boas Novas

-Terra Firme

-Um Episõdio na Vida de um Catador de Ferro-Velho

-Mama

-Blue Jasmine

-Prenda-me

-Olho Nu

-Hoje Eu Quero Voltar Sozinho

-Amantes Eternos

-Miss Violence

-Relatos Selvagens

-A Teoria de Tudo

-Whiplash

-Território do Brincar

-Jessabelle – O passado nunca morre

-O Cidadão do Ano

-O Julgamento de Viviane Amsalem

-Omar

-Anomalisa

-A Garota das Nove Perucas

-Serra Pelada

-O Abraço da Serpente

-Desajustados

-Filha Distante

-Diplomacia

-The Lobster

-Agnus Dei

-Meu Rei

-Lights Out

-Julieta

-Much Loved

-As Confissões

-É Apenas o Fim do Mundo

-A Criada

-Souvenir

-O Filho de Joseph

-A Criada

Eu não Sou Seu Negro

-Paterson

Dicas do Festival 2014 (por estrear…)

Aqui vão, em ordem:

1) O Sal da Terra (9.8)

2) Güeros (9.8)

3) Primaveras Escuras (9.8)

4) Mauro (9.7)

5) Escola de Babel (9.5)

6) Mommy (9.4)

7) A Camareira (9.1)

8) 1001 Gramas (9.0)

9) Cássia (9.0)

10) Asteroide (8.8)

11) O Cordeiro (8.5)

12) Carvão Negro (8.4)

13) Coming Home (8.3)

14) Party Girl (8.2)

15) Difret (7.9)

16) Quatro Cantos (7.8)